19 Comments

  1. Isis
    5 de maio de 2014 @ 17:19

    Agora já sei o que responder quando perguntarem sobre a profissão do meu namorado!

    Reply

  2. renataduft
    5 de maio de 2014 @ 23:35

    CADE O TRATOR?????

    Reply

  3. Marcos
    5 de maio de 2014 @ 23:56

    Uia

    Reply

  4. Jaime Roberto Bendjouya
    6 de maio de 2014 @ 00:29

    Aqui aparecem apenas algumas das imagens que remetem ao que seja um Engenheiro Agrícola, além dessas poderiam ser adicionadas imagens de barragens agrícolas, pequenas usinas elétricas, sejam hidráulicas ou eólicas, revestimentos em estradas rurais, construções para criatórios de animais, beneficiamentos de alimentos, indústrias rurais ou de beneficiamentos de produtos agropecuários, etc, etc, etc..

    Reply

    • Daniel Duft
      6 de maio de 2014 @ 13:28

      Com certeza Jaime! O intuito do post era mostrar apenas algumas coisas que o público geral pode não associar ao Eng. Agrícola! Mas com certeza poderíamos ter colocado uma centena de imagens.

      Reply

  5. Emanoel Martins
    6 de maio de 2014 @ 14:41

    Meu querido, sou capaz de apostar com você que no mínimo 4 das imagens mencionadas são obras de um Engenheiro Agrônomo. Não tiro o mérito dos engenheiros agrícolas, apenas os Engenhehiros Agronomos tem uma formação mais ampla.

    Reply

    • Daniel Duft
      6 de maio de 2014 @ 15:28

      Emanoel, obrigado pelo comentário. Não concordo com sua opinião. Se formos ver hoje em dia no CREA todas as imagens que coloquei ali para duas delas é necessário ter um ART para executar. Já quanto à competência, sabemos que a grade dos cursos pelo Brasil é muito variada mas pelo menos os cursos que eu conheço formam profissionais altamente capacitados para exercer aquilo ali. E o meu ponto de vista é aquele que deixei: não tem profissão melhor ou pior, somos complementares.

      Reply

    • Eliemerson Luiz.
      6 de maio de 2014 @ 20:47

      concordo plenamente com você, Emanoel Martins.

      Reply

  6. Carlos
    6 de maio de 2014 @ 16:05

    Sou agrônomo há mais de 40 anos e a atribuição que consta em minha carteira é muito ampla. Diria ampla demais. Foi com satisfação que vi crescerem os cursos de engenharia agrícola e engenharia florestal. A dedicação com exclusividade a um determinado estágio da produção é necessária e importante. Sem esta especialização, ainda estaríamos com arados de aiveca.
    Tens razão quanto à complementariedade. É mais ou menos por aí, sem sistemas cartoriais e reservas de mercado.

    Reply

  7. Wesley Esdras
    7 de maio de 2014 @ 01:14

    Sugestao a voce Daniel: Faca uma nova postagem demonstrando a complementaridade das profissoes. Tanto Agronomia como Eng. Agricola tem papeis fundamentais na producao do alimento que chega a mesa do consumidor, mas so para que voce saiba, o motivo de ter que responder essa pergunta com frequencia nao e porque as pessoas sao desinformadas ou porque agronomia e mais importante que eng. agricola, isso acontece porque nao ha uma organizacao assertiva dos eng. agricolas e a maioria que conclui o curso acaba optando por trabalhar no setor financeiro, o que reduz a disseminacao das atribuicoes do profissional no mercado. Cuidado tambem ao dizer que a carga de engenharia existe so na agricola, de uma olhada na grade da ESALQ, o fato e que devido o foco durante a formacao o eng. agricola e o profissional mais capacitado e legalmente habilitado para projetar e gerenciar determinadas atividades e operacoes agricolas (silos, secadores, maquinas e implementos, irrigacao e drenagem, eletrificacao e construcoes rurais…), por outro lado o agronomo e o especialista no manejo de todo o sistema produtivo, o que inclui desde a preparacao da area, escolha de produto, cultura, definicao do ciclo, analise climatologica, combate a praga, doencas e plantas daninhas e colheita, mas nao acaba ai, pois veja que sao operacoes que dependem do eng. agricola e no final, ate chegar ao consumidor e necessaria uma parceria muito forte entre as duas profissoes e tambem os cursos na area de alimentos. Uma pena que hoje um dos gargalos da producao brasileira seja a pos colheita e nao a producao, perdemos cerca de 30% de produto antes dele chegar a mesa do consumidor, isso tudo porque ainda nao temos aplicado tecnicas conjuntas, embora muitas ja tenham sido definidas e comprovadas.

    Parabens pela iniciativa e desculpe pelo longo texto….

    Reply

    • Daniel Duft
      7 de maio de 2014 @ 08:41

      Obrigado pelo comentário Wesley. Realmente é um assunto com toda essa complexidade, tentei nesse texto sintetizar tudo isso através de uma experiência pessoal. Mas tudo o que você colocou pode virar mais publicações aqui!

      Reply

  8. Lana
    7 de maio de 2014 @ 22:12

    quem faz agronomia com certeza não e bom em calculo. Só um fato!

    Reply

  9. Lana
    7 de maio de 2014 @ 22:13

    Só uma forma mais fácil de virar engenheiro.

    Reply

  10. Diego Santolin
    8 de maio de 2014 @ 09:30

    Não, não, não acredito…

    Reply

  11. Especial 1 ano - 5 imagens que farão você pensar em um Engenheiro Agrícola - Inteliagro
    31 de março de 2015 @ 19:55

    […] 5 imagens que farão você pensar em um Engenheiro Agrícola […]

    Reply

  12. Daniel
    14 de maio de 2016 @ 23:43

    Engenharia Agrícola e Ambiental eu te amo, dez do 1° ano do ensino médio queria esse curso e hoje sou grato por cursar essa importantíssima ENGENHARIA, ta ficando muito concorrido graças a Deus!

    Reply

  13. Elivani
    13 de abril de 2017 @ 11:34

    Engenharia Agrícola e Ambiental ,infelizmente não é valorizados,principalmente na região do Estado do Pará.

    Reply

    • Daniel Duft
      13 de abril de 2017 @ 16:29

      Elivani,

      Infelizmente a profissão ainda possui poucos profissionais pelo número de escolas que existem no país. Dessa forma, o desconhecimento leva a uma baixa valorização.
      Esperamos que isso mude e lutamos por isso.

      Abs

      Reply

  14. Amanda
    13 de janeiro de 2018 @ 01:27

    Sou apaixonada por engenharia agrícola tenho orgulho em estar me graduando em um curso que ainda é pouco conhecido no estado do Pará, afinal somos os únicos na região norte. Obrigada pelo post simples e direto.

    Reply

Deixe uma resposta

Back to Top