5 Comments

  1. Jana Yres
    28 de Abril de 2015 @ 17:29

    Muito interessante sua postagem. Também sou do ramo da geotecnologia a um bom tempo e sempre que posso faço postagens relacionados à agricultura. Sou da Engenharia Agrícola também !!! Aproveitando deixo meu link para saber mais sobre meus trabalhos. Até mais. https://janayresespgeo.wordpress.com/

    Reply

    • Daniel Duft
      1 de Maio de 2015 @ 23:48

      Parabéns pelo Blog! Sempre é ótimo ver pessoas da área entusiastas das tecnologias a favor do desenvolvimento!

      Reply

      • Jana Yres
        2 de Maio de 2015 @ 15:19

        Obrigada Daniel, feliz por suas palavras e desde já sinta-se a vontade para apreciar as novidades, abs!!!

        Reply

  2. Minella Martins
    25 de setembro de 2015 @ 12:33

    Muito bom ver esse texto expondo as limitações da estimativa se safras.Trabalho com modelagem para previsao de safras e, apesar de não utilizar sensoriamento remoto, também enfrento vários desafios. Um grande desafios que encontramos e a limitação de dados para calibração de modelos. Outro fator de extrema importancia e que para prever safras com maior antecedência precisamos primeiro de uma previsão de clima acertda, uma vez que culturas agrícolas são afetadas pelo clima e como dito no texto, cada cultura apresenta uma determinada fase no seu ciclo fenologico de maior sensibilidade, seja ao déficit hídrico, a temperaturas extremas. Temos um grande desafio pela frente. E como exportadores de produtos agricolas a previsão de safras e a chave para um melhor planejamento

    Reply

    • Daniel Duft
      25 de setembro de 2015 @ 13:33

      Minella,

      Obrigado pelo comentário! Realmente a intenção é essa. Além disso, é contribuir para que o mercado comece a encarar modelagem como modelagem deve ser encarada e não como uma previsão de astrologia que se acerta tudo ou nada!
      Se quiser discutir outros assuntos entre em contato!

      Reply

Deixe uma resposta

Back to Top